Alimentação Básica – Trinca Ferro

Fornecer diariamente a mistura: 50% de ração peletizada comercial para
sabiás, 20% de alpiste, 15% de arroz com casca, 10% de girassol e 5% de
aveia.
Oferecer tenébrio, cerca de 5 larvas para cada pássaro 3 vezes por semana, durante o ano todo.

Diariamente, desde que livres de agrotóxicos e bem limpas. Frutas:
maçã, mamão, laranja, goiaba, banana. Legumes: pimentão, jiló,
berinjela e cenoura. Verduras: couve, serralha, almeirão. Oferecer
algum desses alimentos 3 vezes por semana. Retirar após 30 minutos.

Fêmeas em reprodução: mistura de 50% de fubá grosso de milho e 50% de ração de codorna (postura).

Para fêmeas com filhotes e pássaros na época de muda: mistura a base de
ovo cozido, flocos de milho pré-cozidos e farelo de soja (submetido a
processo industrial de tostagem).

Fornecer areia limpa, esterilizada, podendo ser fornecida junto com um complexo mineral.

Água Filtrada, renovada diariamente, em bebedouro limpo.

Criação de Coleiros

A época de reprodução geralmente vai de agosto a abril, dependendo do clima local.A fêmea bota de 1 a 3 ovos, chocando-os por 13 dias.Normalmente a postura e choca ocorre até 04 vezes ao ano.

Os filhotes deverão ser alimentados com larvas de tenébrio ou farinhada
à base de 70 de milharina, 10% de farelo de soja torrada, 10% germe de
trigo, 10% de ração de crescimento de codorna de boa qualidade, 1 boa
pitada de sal refinado.

Misturar bem as partes, servir em
pequenas quantidades pelo menos 4 vezes ao dia, adicionando uma gema de
ovo e uma colher de sobremesa de aminosol premix. Passar a mistura em
uma peneira antes de servir.

No período em que a fêmea estiver alimentando os filhotes é importante o uso de COCCIDEX como preventivo contra doenças.

Os filhotes deverão ser separados da mãe com aproxidamente 35 dias, período que normalmente já estarão comendo sozinhos.

Alimentação Básica – Coleiros

Fornecer diariamente a mistura: 50% de alpiste, 10% de painço comun,
10% de painço verde, 10% de painço vermelho, 10% de painço português,
10% senha.
Legumes: jiló, pepino japonês, diariamente.

Sempre que possível fornecer pendões de capim, desde que se tenha
certeza, que não houve qualquer pulverização de agrotóxicos no local.

Areia: muito bem lavada em água corrente, adicionar farinha de casca de ovo torrada.

Uma pequena quantidade de canjiquinha de milho (quirera, sanga) diáriamente.

Larvas:Fornecer duas a três larvas, diariamente, de tenébrio.

Água filtrada trocada diariamente.

Não deixar o pássaro em correntes de vento ou lugares pouco arejados.

Rações Extrudadas

A alimentação que está substituindo com vantagens as misturas de sementes hoje existentes no mercado.

Apresentam fácil digestibilidade, níveis nutricionais adequados a cada
fase de vida do pássaro (crescimento, manutenção, reprodução, muda) e
geralmente não necessitam que outras fontes de nutrientes sejam
acrescentadas à dieta, facilitando de forma muito significativa no
cuidado diário das aves.
 
Vantagens das rações extrusadas para pássaros:
 
Existe uma série de vantagens do uso de rações extrusadas frente às
tradicionais misturas de sementes, não como uma opção a mais, mas sim
como a base da alimentação dos pássaros. Vejamos as principais:

– O processo de formulação da ração permite que o produto apresente os
níveis de garantia exatamente de acordo com as exigências nutricionais
dos pássaros. Desta forma a ração pode perfazer 100 % de sua
alimentação, deixando a necessidade de suplementação apenas para
situações especiais, como períodos de convalescença, reprodução e muda
de penas.
– Mesmo quando se tenta fazer uma boa composição através da mistura de
diferentes tipos de sementes, enfrenta-se a questão da escolha pelos
pássaros das sementes que mais lhes agradam, comprometendo a intenção
do balanceamento. Na ração a composição é a mesma em cada grânulo ou
partícula, que proporciona uma alimentação uniforme.
– Seu uso evita problemas nutricionais, como excesso de gordura e
deficiência de vitaminas, minerais e aminoácidos, freqüentes nas dietas
à base de sementes.
– O processo de fabricação permite que a ração apresente cor, textura e
aroma mais agradáveis a cada espécie de pássaro. O processo de extrusão
promove alterações favoráveis, como o aumento da digestibilidade dos
nutrientes, além de eliminar possíveis patógenos presentes nos
ingredientes, pela ação de altas temperaturas.
– Proporciona considerável economia, já que o consumo de ração é cerca
de 30 a 40 % menor que o volume de sementes que seriam utilizadas, em
função das cascas e do desperdício de sementes pelos pássaros.
6) Facilidade de manejo. Deste modo à ração pode ser fornecida para vários dias.
– A ausência de agrotóxicos, normalmente presente nas sementes e
eventualmente nas verduras, evita intoxicações e doenças pulmonares.
Alguns agrotóxicos podem não apresentar sintomas aparentes de
intoxicação, porém podem até esterilizar os pássaros ·

– Os pássaros não são submetidos aos riscos que acontecem no uso de
alimentos frescos, como ovo cozido, que é rapidamente deteriorável,
pondo em risco a saúde dos animais, em especial em períodos quentes.
Adaptação:
Como qualquer outro animal submetido a uma mudança na dieta, há
necessidade de um período de adaptação para a nova alimentação. Quanto
mais novo o pássaro, maior a facilidade de adaptação. Pássaros
habituados há muito tempo às dietas a base de sementes poderá estranhar
inicialmente o novo alimento, mas também podem ser adaptados. Pássaros
nascidos em ambiente onde a dieta já é a ração, são alimentados pelos
pais desde o início com este alimento, sem necessidade, portanto, de
adaptação.
Havendo necessidade de adaptação, deve-se proceder à mistura da ração com as sementes de costume, conforme a tabela:

1º ao 7º dia 1/4 ração 3/4 sementes
8º ao 14º dia 1/2 ração 1/2 sementes
15º ao 22º dia 3/4 ração 1/4 sementes
A partir do 22º dia somente ração extrusadas

OBS. É muito importante um acompanhamento diário a partir do 22º dia
para se ter certeza de que o pássaro esteja realmente ingerindo a
ração, isso pode ser verificado através da coloração das fezes.

Como Aprontar Coleiros

Evite deixar o coleiro fazer muda próximo de fêmeas;
Procure deixar o coleiro em local claro e arejado, porém sem incidência de correntes de ar;

Sempre que possível dê banho de sol pela manhã;
Após o pássaro enxugar a muda, passeie bastante com ele pela manhã e ao
chegar em casa coloque-o em um passeador ou voador, deixando-o durante
todo o dia para o mesmo se exercitar. Repita este procedimento sempre
que puder, durante vários dias;
Quando sentir que o pássaro está aprontando, (cantando com mais
desenvoltura), caso o seu coleiro aceite fêmea, procure aproximá-lo da
fêmea, sem se verem, pelo menos durante uma a duas semanas, depois
comece a mostrar a fêmea de vez em quando e em seguida deixem dormir
próximos um do outro, onde o macho só veja a fêmea pela janelinha da
capa, afastando-os no dia seguinte de forma que ele só ouça o piado da
fêmea durante todo o dia;
Após esses cuidados, caso deseje participar de rodas, na noite anterior
ao torneio, procure deixar o coleiro ao lado da fêmea, em local
tranquilo, onde não haja incidência de raios de luz elétrica.